História da Cidade

História da Cidade

O processo de fundação do povoado de Santa Luzia do Matrinchã (nome criado pelos seus fundadores em homenagem a “Santa Luzia” e o córrego “Matrinchã” que margeia na entrada da cidade) iniciou nos anos 1970 com Jofre Freire de Andrade, Abelirio Claro Feitosa, Padre José Augusto Costa, Padre Luís Marcos Macedo, Irmã Isaura, Josias Pereira Macedo, Ilda Ferreira Camelo e Viliano Gomes de Almeida. 

Assim no dia 13 de dezembro de 1971 elevaram o cruzeiro e inauguraram a igrejinha (que inda preserva seu estilo arquitetônico original da época) segundo relatos das pessoas que presenciaram o momento muitos depositaram objetos, cartas e o mistério de até ouro no pé do cruzeiro. Com isso, na educação tivemos duas pioneiras no ensino que são elas: Ilda Ferreira Camelo e Iolanda Eluiza dos Santos. 

Deram início as aberturas das ruas, as doações de lotes para as pessoas fazerem seus ranchos, a cidade nascia pertencendo ao Município de Aruanã, anos mais tarde surgiu a emancipação com a Lei nº 10.409 no dia 30 de dezembro de 1987 criou-se o Município de Matrinchã pelo Governador Henrique Santillo e em 1990 a Lei Municipal nº 35 de 11 de junho de 1990 criou-se o Distrito de Lua Nova pertencendo a Matrinchã, e o povo que aqui vive tem doce prazer  de ser “Matrinchãense” o município está localizado na região noroeste do Estado de Goiás a 245 km da capital Goiânia. 

Conforme o tempo passava, Matrinchã foi entrando nos trilhos do progresso com a construção do Colégio Estadual Arthur da Costa e Silva em 1978, chegada da energia elétrica em 1985, e o asfalto em 1994 e inúmeros outros benefícios em prol dos seus munícipes. 

Fonte: Matheus Nunes.
História de Matrincha
Pular para o conteúdo