Coragem para vencer

Coragem para vencer

Elìna Borges: Mestre em Engenharia da Produção com ênfase em Planejamento e Estratégia Empresarial, Especialista em Gestão Estratégica de Marketing, Administradora. Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental, Psicóloga. Cursando Formação em Psicanálise. Consultora de Negócios, Palestrante e Escritora.
capa

Tenho observado o quanto as pessoas estão descrentes, derrotadas e perdidas. Parecem não ter motivos, causas, objetivos claros para suas vidas. Elas perderam a sua essência, se confundiram com a multidão.  Será isso um reflexo da modernidade? Das facilidades tecnológicas? Do consumo exacerbado do século XXI? Parece incrível, mas não é. Napoleon Hill no início do século passado fez uma pesquisa com milhares de pessoas e concluiu que 95% das pessoas fracassadas do grupo não tinham clareza de seus objetivos de vida. 

           Em 1953 na Universidade de Yale foi feita uma pesquisa com 100 jovens recém-formados. Perguntaram a eles quantos haviam escritos seus objetivos no papel. Apenas três jovens disseram que tinham seus objetivos escritos. Voltaram a fazer a pesquisa com os mesmos 100 jovens em 1973. Após as entrevistas ficou constatado que a riqueza acumulada dos três jovens que escreveram seus objetivos era maior do que a dos  noventa e sete restantes. Na Universidade de  Illinois, no início do século XXI, o psicólogo Edward Diener do Departamento de  Psicologia conclui em sua pesquisa que um dos ingredientes  vitais para o bem-estar e a felicidade é ter um sentido de vida, objetivos firmados. O estudo mostrou que a longevidade está relacionada com a clareza dos objetivos que se quer conseguir na vida. Outro estudo feito pela Universidade de Nova York concluiu que aqueles que seguem sua vocação, têm clareza de sua missão são mais felizes. Pesquisadores da Universidade de Rush – EUA, após estudos realizados, concluíram, recentemente, que os indivíduos que tem objetivos de vida parecem ter menos chances de desenvolver a doença de Alzheimer. No século passado ou neste século as pessoas continuam não tendo clareza de seus objetivos de vida. Não sabem defini-los e não possuem qualquer tipo de estratégia para alcançá-los.

          Analisando os grandes conquistadores da história, os grandes líderes, os vencedores do passado e da atualidade, aqueles que têm sucesso na vida observa-se uma coisa em comum, uma sabedoria, uma espécie de DNA dos vencedores: a CORAGEM. Para definir objetivos e desenhar estratégias para atingi-los é preciso coragem. A coragem tem várias forças, características próprias. E para ativar a coragem existem cinco forças poderosas: a força da VISÂO, a força da PAIXÃO, a força da DISCIPLINA, a força da AÇÃO e a força da SUPERAÇÃO. Os vencedores conhecem essas forças e sempre as aplicaram em suas vidas. Essas forças simbolizam a sabedoria dos vencedores, dos grandes estrategistas.

A coragem faz parte da natureza humana. Foi por causa dela que sobrevivemos a tantas catástrofes e nos transformamos no Homo sapiens sapiens. É a coragem que nos impulsiona para o resgate do verdadeiro EU, que nos faz reinventar, que nos transforma em vencedores. Pessoas como Nelson Mandela, Dalai Lama , Barack Obama, Bill Gates, Steve Jobs e Mark Zuckerberg  são vencedoras e muito, muito corajosas. Elas conhecem bem as cinco forças da coragem. A força da visão, o senso de causa, de missão direciona suas vidas; dedicam-se à causa porque possuem um amor grandioso pela humanidade; são estrategistas iluminados; são sonhadores e realizadores incansáveis; reinventam-se permanentemente. A VISÃO, a PAIXÃO, a DISCIPLINA, a AÇÃO e a SUPERAÇÃO se fundem na pessoa vencedora. É o retrato perfeito dos vencedores do século XXI, mas é também o retrato de Ayrton Senna da Silva, Abílio Diniz, José de Alencar, Antonio Ermírio de Moraes, Joana D’arc, Martin Luther King e Alexandre, O Grande. As pessoas precisam observar os seus retratos. Acreditarem nessas forças, elas são poderosíssimas, farão delas vencedoras. É a crença absoluta nos resultados da aplicação dessas forças que me faz falar de CORAGEM PARA VENCER. Como estudiosa de estratégia – de Alexandre, O Grande até A Estratégia do Oceano Azul – eu sei que não existe nada que represente melhor as características dos vencedores do que as cinco forças da coragem.

É possível vencer, pois como diz Barack Obama “O que nos encoraja é muito mais forte do que o que nos enfraquece.” É preciso acreditar! Acreditar no ser humano, na humanidade, no universo. A verdadeira liberdade que a coragem promove consiste em libertar-se, em primeiro ligar, do próprio medo, em seguida de qualquer escravidão ou opressão externa. As pessoas não podem ter  medo,  ter vergonha dos seus sonhos. Definir a missão de vida, ter clareza da causa, dos objetivos, aplicar as cinco forças da coragem, resgatar a essência, se reinventar é o caminho que conduz à vitória.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
Pular para o conteúdo